Print Shortlink

Tratando as olheiras: como cuidar desse problema

Olá Leitores do Blog,

Hoje vou falar sobre um problema que incomoda muitas pessoas, de variadas idades e tons de pele: as olheiras. Do ponto de vista dermatológico, classificamos as olheiras em agudas (quando ela surge de forma inesperada) ou crônica (quando o problema dura por muito tempo). Além disso, três fatores geram a coloração característica do problema: o olho fundo ou encovado, as manchas de pigmento violáceo e as manchas marrons de melanina.

As olheiras agudas podem acometer qualquer pessoa, seja por uma noite passada em claro, ingestão de bebida alcoólica, uso de certos medicamentos de curto prazo ou próximo ao período menstrual. Em geral, dura poucos dias e desaparece completamente. Removendo a causa, a olheira vai embora e não precisa de tratamento específico.

Já a olheira crônica é mais problemática, pois não some espontaneamente e pode até mesmo piorar com o tempo, com crises de agudização. Vários fatores contribuem para sua causa: entre os mais importantes, destaco – o cigarro, a genética (descendentes de árabes, por exemplo) e problemas respiratórios crônicos (como sinusite e rinite crônicas).

E como podemos tratar as olheiras? Quando faço uma avaliação de um paciente que tenha o problema, sempre verifico se o mesmo apresenta o chamado “canal lacrimal” ou “olho encovado”, que nada mais é do que um sulco que se forma desde o canto dos olhos em direção às bochechas, na pálpebra inferior. Se ela está presente, a sua correção com produtos preenchedores é uma ótima opção. Porém, vale uma ressalta: os produtos devem ser compostos de ácido hialurônico de baixa densidade, ou seja, muito fluido, para não formar pequenas ondulações que podem ficar visíveis.

Quando há presença do pigmento violáceo, indico produtos que melhoram a microcirculação do local e sessões de laser, entre eles, o Elektra (Q-Switched laser 1,064nm), entre 6 e 10 sessões. E se há sinal de manchas de melanina, costumo associar também algumas sessões de luz pulsada para amenizar o problema.

 

Deixe um comentário